28 de julho: dia do agricultor

dia-do-agricultor-renato.jpeg

Uma homenagem à figura mais importante do nosso Clube: o produtor agrícola


O dia 28 de julho comemora o dia do agricultor e para nós essa homenagem é muito especial. Afinal, sem eles, os produtores orgânicos, que trabalham a terra apostando numa forma de produção mais sustentável e muito mais saudável, nosso Clube não seria nada.

Este é o Renato Agostini, um dos mais antigos produtores do Clube Orgânico.

Este é o Renato Agostini, um dos mais antigos produtores do Clube Orgânico.

Já contamos aqui como conhecer os responsáveis pela nossa comida foi uma experiência que mudou a vida de quem está por trás do Clube Orgânico. Parece besteira, mas a aproximação com o campo e com as pessoas que produzem aquilo que comemos gerou um impacto profundo, que vai muito além da alimentação.

Estar conectado com a produção agrícola do nosso Estado também é se conectar com a natureza, com o meio ambiente e com as pessoas à nossa volta, pois investir nessa relação é investir no desenvolvimento econômico e social das tantas famílias que vivem da terra.

E é isso que fazemos no Clube Orgânico: investimos não só na produção de alimentos orgânicos no estado do Rio de Janeiro, como também na relação com os produtores, diminuindo a distância entre o campo e o consumidor final. Com isso, queremos promover e democratizar o acesso a esses produtos, desenvolvendo uma cadeia produtiva mais eficiente, possibilitando que alimentos orgânicos sejam uma realidade para todos.

No país que mais consome agrotóxicos no mundo - estima-se que os brasileiros consomem em média 7 litros de agrotóxicos por ano - esse movimento é essencial para o desenvolvimento sustentável da nossa terra e para a manutenção da saúde de quem vive nela (e dela). Mais do que isso, esse movimento é a nossa forma de reagir às imposições da indústria e ao descaso dos nossos governantes. Esse movimento é a nossa saída para uma vida com mais saúde e o início do caminho para que, no futuro, todos tenham acesso à comida de verdade: boa, livre de veneno e economicamente acessível.

É por isso que investimos na base da produção.

Sítio Solstício, onde fica a produção do Renato, em Teresópolis.

Sítio Solstício, onde fica a produção do Renato, em Teresópolis.

O acesso aos alimentos orgânicos ainda é muito restrito no Brasil: menos de 15% da população urbana tem acesso a esses produtos. Isso significa que ainda há muitas barreiras que dificultam e até impossibilitam a expansão do consumo de orgânicos por aqui.

O preço infelizmente ainda é um impeditivo, e a oferta também: há pouca variedade, pouca disponibilidade e orgânicos em geral são 30% mais caros do que os alimentos convencionais. E o motivo disso é simples: há muito mais custos para certificar um produto orgânico (e isso é muito importante e necessário). 

Apesar de todos os impeditivos, consumir alimentos orgânicos também significa apoiar um tipo de produção que, em sua essência, prioriza o bem-estar das pessoas e do planeta. Mas sabemos que para democratizar o acesso a esses alimentos, precisamos dar um passo atrás, e é por isso que nos voltamos para quem está no centro dessa história toda: o pequeno produtor agrícola.

Muito além de entregar cestas de orgânicos e distribuir esses alimentos em supermercados, nosso maior trabalho é cuidar de quem produz a sua comida. Valorizando os produtores orgânicos da nossa região e dando recursos para que eles possam produzir mais e com mais qualidade, nós estamos fazendo a nossa parte.

O trabalho é duro, mas compensa. Aos poucos vemos um novo futuro, mais orgânico, saudável e sustentável, se desenhar à nossa frente. E aqui registramos a nossa gratidão aos produtores orgânicos, que fazem disso possível.

Vamos mudar o mundo, uma cesta de cada vez. Vem com a gente?


Conheça as cestas do Clube Orgânico

Faça parte desse movimento pela comida de verdade. São várias opções de planos para você assinar e receber em casa.

dia-do-agricultor-sitio-solsticio-2.jpeg

Cestas orgânicas